Wilson Witzel chora em tribunal: ‘Não deixei magistratura para ser ladrão’

0
53

O governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), iniciou seu interrogatório no processo de impeachment aos prantos. Emocionado, ele destacou a trajetória no serviço público e disse ter agido sempre por idealismo.

“São 35 anos de vida pública movida por um sentimento de ideal, de amor. Não deixei a magistratura para ser ladrão. O que estão fazendo com a minha família é muito cruel. É muito cruel o que estão fazendo com a minha esposa”, disse, visivelmente emocionado.

O governador afastado é ouvido pelo Tribunal Especial Misto, composto por deputados estaduais e desembargadores, que julgará se ele cometeu ou não crime de responsabilidade.

Mais cedo, o ex-secretário de Saúde de sua gestão, Edmar Santos, foi ouvido e reiterou diversas acusações feitas em seu acordo de delação premiada. Após destituir os advogados, o próprio Witzel fez as perguntas na condição da defesa e chegou a bater boca com o ex-secretário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui